quarta-feira, agosto 21, 2013

Vai demorar para sermos um país de primeiro mundo !

Num horário de almoço de um dia de semana, estava eu numa praça de alimentação de um dos shoppings de Porto Alegre. A disputa por uma mesa é acirrada e as pessoas tem que ficarem atentas.

Pessoas essas bem vestidas, mulheres e rapazes, alguns estampando o crachá da empresa no peito.

A minha observação, que resultou nesse comentário, se deu pelo fato de muitos fazerem suas refeições e deixarem as respectivas bandejas de origem de seus pedidos, nas mesas.

Ora, o que custa a pessoa pegar sua bandeja, ao final da refeição, e elevá-la no lugar adequado onde se coloca o lixo ? A arrogancia não lhe permite isso ? E quando ele chegou na mesa não encontrou a mesma limpa desse lixo ? E qual a razão que não o deixa deixar da mesma maneira que a encontrou ?

O que não o deixa fazer isso é a sua educação ! Essa demora a ser absorvida, quando estudada.

terça-feira, agosto 20, 2013

A música no lugar certo ou suposto lugar adequado !

Sempre fui ligado à música. ! Sempre tive uma boa sensibilidade de associar certas músicas aos lugares e momentos. Essa virtude foi reconhecida várias vezes quando fui DJ de algumas festas e até de uma boate famosa na época em Porto Alegre !

Para os ouvidos mais sensíveis, a música tem o seu momento de ser escutada. Tem o seu lugar adequado. Dou, como exemplo, tu estares numa beira de praia, num final de tarde. Qual seria a música que combinaria com isso ? Te digo que o teu astral no momento é que responderá por isso. Mas, se estivesse como DJ de um bar nessas condições, um reggae ou um som instrumental mais relaxante ou uma bossa nova ou até mesmo uma música clássica bem selecionada.

Sempre fui um bom observador, quando DJ do lugar, a observar a química das pessoas que estava no ar. E isso, vos digo, não é uma coisa muito fácil de perceber. Claro que sempre tem um repertório que agrada. E também tem certas músicas que todo mundo gosta mas já ta de saco cheio de ouvir sempre nas festas como La Bamba, New York, New York. Ou festas que acabam sempre no pagode mal tocado e com letras que transmitem o óbvio.

Não é muito fácil essa tarefa. Por isso que temos sempre que saber qual o público da festa e o que rolar.

O que digo é que temos uma gama imensa de ótimas opções mas os DJ´s mais preguiçosos acabam colocando um feijão com arroz que todos já encheram o saco e acabam curtindo por que a bebida consumida acabou denegrindo o controle de qualidade.

sábado, agosto 10, 2013

O Tsunami !

A turma já tinha lido no jornal e nas demais mídias sobre uma tragédia prestes a acontecer e que o Bar do Aristeu seria um dos atingidos.

- Mas como uma coisa dessas ? Onde vou poder tomar meu trago futuramente ? O Zucas tava preocupado. As brigas em casa com a mulher estavam constantes e o buteco com os amigos era um refúgio seguro e tranquilizante.

Mas a notícia era quase certeira ! O tsunami iria acabar com o reduto daquela turma que via como um refúgio das frustrações da vida e dos relacionamentos. O bar era o "escritório", o quintal, o reduto para afogar as mágoas ou, simplesmente, o local mais indicado para tomar um conhaque barato e pensar nas coisas da vida que aconteceram, que aconteceram diferente do programado, que nunca aconteceram e ficaram nos sonhos, que sempre foram uma ilusão de um apaixonado.

Que venha o tsunami !

Um partido jogado no lixo !

O PT surgiu lá nos anos 80 como um partido que representava os trabalhadores, onde seus líderes vinham de histórias de resistências ao regim...