segunda-feira, janeiro 30, 2017

A Volta da Chapecoense !

Não deve ser fácil reconstruir uma fortaleza erguida ao longo do tempo. Mas , ao mesmo tempo, não era uma fortaleza pois caiu. Caiu através de uma atitude simplória mas que desmoronou um grupo inteiro.

Nesse domingo a história vira mais uma página de um clube que mais se confunde com uma família que qualquer outra coisa. E esse pessoal que assumiu ao meio de tanta desgraça vai nos dizer a que veio.

Torço, infinitamente, pelo sucesso da Chapecoense. Não com sentimentos de pena ou coisas semelhantes. Mas com admiração de reerguer uma marca, uma empresa, uma equipe, uma família.

Que esse ano, e os seguintes, sejam caminhos a serem trilhados por essa equipe que conquistou os corações mundiais.

sexta-feira, janeiro 27, 2017

Marcas que marcaram e que ainda marcam !

Criar uma marca, um nome, pessoalmente, é algo que me admira muito. Aquele que consegue criar uma palavra que será pronunciada por anos à fio é digno de um troféu da boa criatividade e da boa sacada.

Em termos de nomes pessoais, a coisa se torna mais difícil, ao meu ver. Tipo: imaginem um grande imperador chamado Wesley, o grande ! Geralmente os nomes são mais simples. Falo desses que ficam para a eternidade. Temos, claro, os Franklin da vida mas esse é um nome típico lá dos gringos.

Mas dificilmente um brasileiro chamado Valdisney ficará eterno pelo seus feitos. Até pode acontecer mas as estatísticas me são favoráveis.

Mas, voltando ás marcas de produtos que ficaram para a história, cito os seguintes nomes que, muitos, se confundem com o próprio produto:

- Biotônico Fontoura
- Pó Pelotense
- Bicicletas Monark e Caloi
- Brastemp
- Palmolive
- Band-Aid
- Chiclets
- Bom-Bril
- Gilette
- Cotonette
- Champagne

Bacana isso. certamente esqueci de algum nome importante mas o que importa, nesse trocadilho de marcas registradas é que o tempo não apaga para uma boa criação. Que acredite nisso, meu bom Jesus !
-

sexta-feira, janeiro 20, 2017

Trump e Lula !

Trump toma posse hoje. Tive a oportunidade de apertar-lhe a mão em um encontro no seu cassino Taj Mahal em Atlantic City nos anos 90, assim como também tive a oportunidade de cumprimentar o Lula nos anos 90 em frente ao Teatro Municipal em São Paulo. Não posso julgá-los pois os conheci superficialmente e o que sei sobre os dois é através das mídias. Julgo, sim, pessoas bem próximas de mim que, a cada minuto, mostram sua cara e personalidade, me ajudando ou me traindo, querendo o meu sucesso e meu fracasso. Espero que Trump faça um bom governo para a paz mundial e que Lula siga seu rumo e comece a colher tudo o que plantou pois já está na hora.
A diferença que vejo entre os dois é que Trump já veio de uma família estruturada, ficou bilionário, quase faliu mas deu a volta por cima. O Lula veio de uma família desestruturada, pobre, venceu na vida, ficou milionário e agora vê seu mundo desmoronar aos poucos e sabe-se lá sobre seu futuro.
A vida é assim. Sou mais o caminho do Trump. Quem der uma lida em um trecho de um de seus livros, Olhar Global (jornal Zero Hora, dia 20.01.2017,pág 22), verá a diferença entre essas duas personalidade que citei.
Planejamento é tudo na vida, principalmente se for feito para ser um vencedor. "Ser nocauteado é uma coisa. Ficar caído, é outra".

terça-feira, janeiro 17, 2017

O mau gosto impera !

Muitos verões passei no litoral  gaúcho. Meu pai sempre gostou de praia e alugava sempre uma casa ou em Imbé ou em Capão da Canoa até adquirir uma casa em Atlântida e, posteriomente, um apartamento em Capão da Canoa devido a insegurança no local.

E uma coisa que sempre me chamou a atenção foi o extremo mau gosto das pessoas com relação aos seus empreendimentos. Hoje a coisa melhorou sensivelmente mas nos anos 70, 80 a coisa era deprimente.

Vai desde as casinhas dos salva-vidas até a decoração dos bares passando por uma cidade sempre mal cuidada e mal administrada.

Mas o mais curioso disso tudo é que o gaúcho, quando coloca um empreendimento fora do Rio Grande do Sul, ele sempre faz uma coisa bacana, criativa, bem decorada. Mas as nossas opções sempre foram decadentes, de mau gosto, feitas de qualquer jeito. E quando a gente viaja por aí encontramos estabelecimentos bem legais, bem decorados, aconchegantes.

Mesmo na capital do RS a coisa custou a deslanchar. Hoje temos inúmeros locais bem bacanas, criativos, diferentes que faz com que todos se sintam bem.

Demorou a deslanchar mas, pelo menos, deslanchou.

domingo, janeiro 15, 2017

A Semana da Pátria !

Vejam só ! Um artigo sobre a semana da pátria lá pelos anos 70, época dos militares no poder, eu estudando em um colégio marista e com um tio tenente da aeronáutica.
Nesse contexto surgiu a oportunidade de levar a minha turma dos riquinhos do Colégio Marista Rosário, para um passeio de avião, em um daqueles de 4 hélices, bancos de madeira enfileirados junto às escotilhas, para um passeio pela cidade de Porto Alegre.

Era uma cena comum naquela época e falei com o padre responsável por essas empreitadas externas à escola e ele concordou. Achei engraçado a atitude de alguns pais dos riquinhos colegas de afirmarem que não colocariam a vida de seus filhos em risco voando em aeronaves na FAB, a Força Aérea Brasileira, pois haveria um risco de tragédia.

Ora, ora ! Se um militar mais atento às palavras desses pais de abastados financeiros estivessem mais atentos, estaria exposta uma explícita agressão às forças aeronáuticas desse país em um pleno desafio as suas capacidades de fazer um vôo turístico pela cidade de Porto Alegre onde o tempo total não passaria de, aproximadamente, 15 minutos.

Mesmo assim, a maioria da turma da minha classe foi e se divertiu bastante. E, diga-se de passagem, o avião não caiu e ninguém morreu. Pelo menos dessa vez !

quarta-feira, janeiro 11, 2017

O que vem da terra do Tio Sam ?

Sei lá ! Uma incógnita para mim e acho que para bilhões de pessoas espalhadas pelo mundo. O que fez seu último discurso hoje, deixa o seu legado com uma margem supimpa de aprovação à nível mundial. Um cara carismático, simpático, inteligente, tranquilo, como deve ser o presidente mais poderoso do planeta Terra.

Em seu último discurso, mais uma vez, surpreendeu positivamente. E numa de suas mensagens mexeu com meus brios ao desfiarem as pessoas a chamarem para um diálogo cara-a-cara àqueles que discordam das nossas opiniões. Não no sentido de brigas mas sim de conhecer uma outra opinião, poder trocar idéias na maior elegância e longe dos computadores e redes sociais.

Convocou as pessoas para que aceitem o estranho, o diferente nas nossas redes sociais para que tenhamos uma oportunidade de conhecê-lo melhor.

Barack Obama é o cara ! Fazia tempo que não tínhamos um líder tão carismático e conciliador. Além de tudo, uma pessoa simples advindo de uma família humilde e que mostrou ao mundo que os simples também podem vencer.

O discurso do que está vindo já foi bem diferente. Mandou jornalistas calarem a boca e mandou ver naquele seu jeito de encenação com as mãos onde, a meu ver, está mandando todo mundo tomar no cu.

O pior, ou sei lá o que, é que conheci esse cara ao vivo. Atlantic City, cassino Taj Mahal. E, como dono, ele chegou no mesmo instante que adentrei o recinto e trocamos rápidas palavras.
Espero que tudo de certo e que ele faça um bom governo, se depender de mim naquele rápido batepapo.

Já as histórias dos brasileiros recentes que eram pessoas simples e chegaram ao poder não nos dizem a mesma coisa. Mas o Brasil é um caso à parte em tudo que possa existir.

Brasileiro nunca desiste. E não vai ser agora que vai desistir de ter esperança em um mundo melhor. Nem que seja começando pelos americanos.

sexta-feira, janeiro 06, 2017

O padre de Imbé, o gaúcho das malas e Leonardo DiCaprio !

A missa na praia de Imbé parece ter sido boa, segundo testemunhas. Não sou frequentador de igrejas. Tenho minha própria religião assim como meu próprio partido político imaginário, o POP (Partido da Oposição Permanente) cujo presidente sou eu mesmo. As pessoas, segundo matérias na mídia, gostaram do que o garoto transmitiu. Passou-se por um simpático padre e tomou conta do reduto. Desconheço quem pode comandar uma missa. Pelo visto, qualquer um pode. É só  adentrar em uma igreja de batina e mandar ver. Os fiéis, pelo visto, estão carentes de bons oradores e qualquer um cidadão bem intencionado é bem-vindo.
Para ser o representante máximo da ANAC (Agência Nacional da Aviação Civil)  o esquema é bem parecido. Não é solicitado qualquer tipo de diploma ou qualificação para exercer essa função. Assim como o rapaz de Imbé conseguiu uma batina, adentrou na igreja e mandou o seu recado, certa vez um gaúcho de Erechim vestiu um terno e adentrou no escritório da agência reguladora da aviação civil, sentou na cadeira de diretor e tomou conta do campinho, a sua maneira. A diferença é que o segundo cidadão ficou mais tempo do que deveria na função e nenhuma ocorrência policial foi feita para tirar o curioso da função que nada tinha a ver com ele.
O que os dois protagonistas tem em comum é que são dois praticões exercendo funções que, digamos assim, deveriam ser exercidas por pessoas preparadas para tal, como estudos e qualificações comprovadas para tais postos. Não entrarei no mérito de como foram dados os devidos recados. Pelo que a imprensa registrou, gostaram do padre cover. Contudo,o da ANAC, na época, um importante jornalista do centro do país afirmou que o tal sujeito entendia de aviação civil era, no máximo,  pegar uma mala na esteira em algum aeroporto de destino.
Mesmo assim, existem registros que, certa vez, até a sua mala ele confundiu. Os dois personagens em questão se encontram na vala comum dos praticões e, na falta de iniciativas e gente qualificada, esse tipo de notícia está se tornando cada vez mais comum em nossas vidas, tanto na igreja quanto na política.
No filme "Prenda-me, se puderes", o ator Leonardo DiCaprio dá uma verdadeira aula de como um praticão pode exercer diferentes profissões sem qualquer constrangimento e até com certa desenvoltura deixando tonto o policial representado no filme por Tom Hanks. Nada fictício, assim como o padre de Imbé e o gaúcho pegador de malas.

Caminhos que se abrem !

Aos poucos vai se conhecendo o lugar. Pode demorar semanas, meses, semestres...O conhecimento chega, a ousadia aparece, o inusitado acontece...