segunda-feira, agosto 15, 2016

Rio 1974 a Rio 2016 - Olimpíadas para ficar na memória !

Não sou fã do Rio de Janeiro apesar de, todos os anos, colocar o meu pé nessa cidade sendo, a primeira vez, aos 14 anos. Meus padrinhos moravam no Rio, perderam um filho que se chamaria Otávio e nunca mais tentaram outro. Então me adotaram. Eram os meus pais que moravam longe.

Me divertia muito quando ía para lá. Meu padrinho tinha uma condição financeira boa e me levava em bons lugares e, assim como meu pai, adorava pegar o carro e sair a passear, me levar em lugares bacanas e tudo isso está muito claro em minha memória.

A primeira vez que vi o Pão de Açúcar eu me emocionei com 14 anos. Fui sozinho de avião. Minha primeira viagem de avião. E obviamente foi pela VARIG. E lá estavam meus padrinhos me esperando no Galeão. Foi quando na ida para Copacabana passamos pelo aterro do Flamengo e tive a minha primeira visão do Pão de Açúcar e minha reação foi disser: existe mesmo isso !!

Passando do Rio 1974 para o Rio 2016, estou emocionado com a nossa recepção, a nossa torcida, a nossa organização, o nosso empenho nessa histórica olimpíada, a primeira na América do Sul. Nunca achei que seria diferente apesar de alguns pitacos que sempre escrevo nas redes sociais.

O Brasil está de parabéns. Não temos apenas uma organização carioca. A turma envolvida na organização vem do mundo inteiro e os méritos são de todos nós.

Rio 2016 ! Dessa vez foi pela TV mas em 1974 e muitos outros anos posteriores eu estava ao vivo inclusive numa virada de ano em Copacabana em 1999.

sábado, agosto 13, 2016

Os heróis das olimpíadas e a lavagem cerebral !

Tudo bem ! Concordo que olimpíadas em nosso país nos trás divisas, os hotéis faturam, os restaurantes também, os camelôs também, os entregadores de drogas também e muito mais gente fatura com tanta gente na cidade maravilhosa, cheia de furtos mil. A cidade, maravilhosa, a mais perigosa do Brasil. Ahhh...exagerei mas o exército brasileiro que cuida de 190 milhões de habitantes está quase todo no Rio para cuidar de 30 milhões de pessoas.

O meu recado é o seguinte: de onde saíram os medalhistas do Brasil ? Uma, recentemente, da Cidade de Deus. Uma exceção. Os outros são ricos velejadores ou hipistas. São os mais medalhistas nas olimpíadas.

Mas o vendedor de picolé, numa briga que mais parecia saída de dois bêbados numa boate, que luta peso até 52 kg, foi batido por um americano, de repente na mesma condição e história, tirou o brasileiro do sonho de medalha. O brasileiro, depois de começar a lutar, sustenta uma família de sete filhos. Se fazer filho revertesse em medalha, seríamos top no ranking.

Assim é o Brasil. E a imprensa faz um alarde todo depositando muita responsabilidade sobre pobres coitados. Considero o Neymar Jr como um pobre coitado. Hoje está no auge. E quando tiver uns 50 anos será o que ? Claro, se não tiver gasto com putarias e festas, ainda terá grana pra morrer tranquilo. Mas, como pessoa, é um bosta. Muito diferente de outros esportistas milionários como o Djcovik. Muito diferente dos neymares da vida e que dão muito mais resultados pro seu país pois ele encarna a pátria, diferente do garoto que saiu de uma favela de Santos.

Mas era isso. A imprensa , ao invés de alertar que somos um país que não investimos em esportes, que não incentivamos qualquer criança nos colégios a praticar esportes mas que dá o direito de um piá de 16 anos a votar e escolher os corruptos que sempre comandaram esse país. Desde o tempo do Cabral.

Deixarás Saudades !

Como é bacana quando uma pessoa nos deixa nessa vida, deixa, também, um legado. Um legado de amor à vida, ao próximo e muitos, mas muitos en...