quinta-feira, dezembro 22, 2016

A penúria dos separatistas !

Ainda bem que não nos separamos do restante do Brasil. Estaríamos entre os piores países do mundo com a classe política que vemos hoje e que essa incompetência não vem de agora.
O RS passa por sérias dificuldades e arrisco a dizer que vem lá dos tempos de Leonel Brizola no comando do nosso Rio Grande.

A população, a mesma que nunca aprendeu a votar mas se diz o povo mais politizado do planeta, hoje chora as medidas que já foram tomadas mas que, na realidade, nem deveriam ter sido criadas. O Estado quer fazer tudo, meter a mão em tudo mas não sabe fazer coisa alguma. Deveria se concentrar no tripé educação, segurança e saúde mas adora sair criando coisas que fogem a alçada do seu compromisso maior.

Claro que é desagradável tomar medidas radicais, desempregar uma penca de gente numa época delicada de nossa economia e muitas outras coisas. Mas todos sabiam que um dia isso teria que acontecer. 

Aconteceu de um jeito bem com a cara dos políticos que foram eleitos pelo povo burro e desinformado e que continuarão a serem eleitos nos próximos pleitos. Poderia ter sido de outra maneira. Mas colocou mais de 1.200 pessoas acostumadas a entrar pela porta dos fundos de uma empresa pública e ficar mamando o resto da vida.

Eu mesmo conheço uma senhora que trabalhou muito tempo em uma dessas fundações extintas mas que nem aparecia por lá, no local de trabalho. Tinha um padrinho forte e recebia um bom salário para nada fazer. Desses 1.200 que foram demitidos, certamente deve ter uns 500 nessa mesma situação.

A conta chegou, separatistas ! E são nas crises que vemos pessoas crescerem ou fiquem chorando na Redenção o leite derramado ou jogando pedras na polícia. 

terça-feira, dezembro 20, 2016

No embalo do David Coimbra !

O colunista do jornal Zero Hora, ainda nos Estados Unidos tratando de sua saúde, escreve na sua coluna de hoje um artigo sobre a dura vida do desempregado à procura de um lugar ao Sol.
Mais especificamente, a peregrinação, muitas vezes desastrosas e humilhantes, de ir de empresa em empresa para preenchimento de "fichas" atrás de uma oportunidade que, na maioria das vezes, nem te chamam para ouvir o que tens a dizer.

Entendo que é um trabalho duro para o RH realizar uma seleção ainda mais quando a quantidade de pessoas ultrapassa a expectativa. E fico imaginando quantos talentos desperdiçados por decisões precipitadas e errôneas dando oportunidade a quem, mais adiante, será dispensado por incompetência mas aprovado por ter sido simpático ou por uma indicação de alguém da empresa e que o RH nem se preocupou em aprofundar-se em conhecer mais profundamente o candidato.

A mesma relação faço com as chamadas "peneiras" nos grandes clubes onde, em poucos minutos, o candidato a craque tem que fazer um "milagre" com a bola e agradar a um desinteressado selecionador de futuros jogadores profissionais.

Mas a vida é assim mesmo. E temos muitas oportunidades em cidades menores mas com uma economia ascendente. Foi essa minha decisão em ter saído de Porto Alegre e me enveredar por outros pagos pois, como sempre diz o gaúcho, "não podemos se entregar pros homens, mas de jeito nenhum, amigo e companheiro".

terça-feira, dezembro 13, 2016

Que ano complicado !

2016 vai ficar na história. Aquela retrospectiva que tanto gosto de ver nos finais de ano nas redes de TV vão ter que estender o horário normal da programação para relembrar tanta coisa que aconteceu nesse tumultuado ano.

Impedimento de presidente, ocupação de escolas, prisões e mais prisões de corruptos, time de futebol desaparecendo de uma hora pra outra, time que não ganhava coisa alguma em 15 anos voltando a vencer, estados brasileiros decretando falência financeira por pura incompetência, ex-governadores na cadeia, delações premiadas, gastos de 800 mil reais em roupas e restaurantes por um corrupto que não ganha nem 30 mil por mês, oficialmente, figurões da política atrás das grades, senadores usando tornozeleiras eletrônicas, bandidagem tomando conta de capitais como Porto Alegre, Trump vencendo as eleições nos Estados Unidos etc...

Mas também tivemos coisas boas como as Olimpíadas e as Paralimpíadas, muitos trabalhos voluntários de extrema importância, população mais consciente das coisas ao seu redor, povos no mundo inteiro ajudando a quem precisa...

As coisas se repetem mas esse ano extrapolou e acabou mexendo com nossas emoções, razões e indignações.

Que 2017 seja melhor que 2016. Chegamos ao fundo do poço e não tem como descermos mais.

sábado, dezembro 03, 2016

Que semana complicada !

De segunda-feira para terça-feira o mundo ficou atônito com o maior acidente aéreo do planeta na história dos esportes.
Não vou ficar aqui escrevendo o que já foi escrito no mundo inteiro.
Quero, sim, divulgar uma tese pessoal: a Chapecoense virá com mais força ainda.
Isso talvez demore um tempo mas até julho de 2017 a Chape estará com um time diferente mas tão comprometido com o que havia até essa semana. E com muita garra extra.

Os momentos de hoje foram difíceis para mim. Chorei muito. Moro há pouco tempo em Chapecó. Uns 2 meses e logo de cara comecei a acompanhar os jogos da Chape. É um clube carismático, toda a cidade torce por eles e os jogadores sempre foram muito próximos da comunidade. Parece uma grande família.

Infelizmente muitos irmãos se foram e outros virão para formarmos, novamente, junto com os que já no clube, uma nova grande família.
O olhar desse dois torcedores acompanhando o funeral já diz tudo
Mas a Chapecoense vai superar. Ontem ouvi numa FM local um comentário do radialista que disse que quando fundaram a Chapecoense, os moradores do litoral afirmaram que estavam formando um time de colonos e que nada sabiam de futebol. Pena que os times do litoral estão sempre tropeçando nas próprias pernas. Em certos momentos, ficar quieto é uma grande virtude.

Coitado do Van Gogh !

Vincent Van Gogh, famoso pintor holandês (o restante sobre ele procurem no wikipedia) foi o homenageado pelo banco Santander, aliás espanhol...