sábado, junho 25, 2016

Ontem, hoje e o amanhã !

Ontem eu estava desesperado mas com a cabeça no lugar. Passei o dia sem me alimentar por pura falta de grana em uma situação que culpo eu mesmo.
Mas com a falta de sono, fome e tranquilo para refletir a que ponto cheguei, encontrei uma solução paliativa. Não vai durar muito. Mas me dará um certo fôlego.

Estou vivendo uma fase de sobrevivência e sendo testado ao máximo. Sei que isso vai passar e melhorar bastante.

Óbvio que fortes fatores covardes e externos contribuíram para a minha condição atual. Quando um mal intencionado que nunca foi coisa alguma na vida resolve acabar com a vida dos outros, a resposta do réu fica mais elástica mas nada que a ignorância de outrém vença o meu lado pensativo e humano.

Me aguardem ! Ou nem me aguardem pois foram somente aqueles 5 amigos que realmente são amigos e que estão me ajudando atualmente.


domingo, junho 19, 2016

O Caipira !

Olha, minha gente. Esse relato é em primeira pessoa. Quem me ensinou isso foi um amigo da cidade, letrado, pois vivo a minha vida de modo simples e acho que sou mais feliz que os colafinas das cidades grandes. Não tenho teoria sobre a relação do dinheiro e felicidade. Tenho pouco estudo mas li muita coisa por conta própria e as conclusões também foram iguais.

Nunca conheci esse outro mundo dos ricos. Das festas, das grandes casas, dos grandes carros, roupas de grife, helicópteros, jatinhos, viagens para o outro mundo... Sei lá. É uma outra vida muito diferente da minha. Mas questiono a felicidade.

O que será a felicidade ? Temos uma vida só por aqui e o que será ser feliz enquanto estamos aqui ? Será que andar numas BMW me fará mais feliz que andar num ônibus de linha os quais me remetem pro mesmo lugar ? Será que beber um vinho caro me fará ficar diferentemente bêbado, na manhã seguinte, depois de ter tomado uma cachaça ? A ressaca será diferente ? O remédio para o tratamento será diferente ?

Será que as pessoas ficam me cuidando para saber quem eu sou, de onde venho, o que faço  e para onde vou ? Estão preocupados comigo ? Imponho algum perigo ? Poderei, eu, influenciar nos rumos da vida de quem está preocupado em me cuidar ?

E o que dizer do futuro  guardou tanta grana pra quem ? Quem irá gastar e como irá gastar o que tu acumulaste ? Acumulaste por que ? Por que não gatou enquanto estava vivo ? Estavas com alguma dívida de passar a vida trabalhando, acumulando dinheiro e deixar tudo isso para outros gastarem sem dó nem piedade ?

Pena que agora não poderás me dar a resposta. A vida passa muito rápida para tantas respostas mas essa é uma que terias que me ter respondido. Fosses um advogado que acabastes com a vida de muitos mas morrestes antes deles. O que ganhastes com isso ? Tu, que tanto condenou tal conduta mas que fostes um bosta ao longo da vida e nada experimentastes ? Morrestes sem emoções ?

A vida é curta, a cultura longa, a inteligência inatingível e eu aqui devaneando enquanto a farinha da vida ainda existe por essas bandas.

terça-feira, junho 14, 2016

A triste vida em uma funcionária pública !

A única menina da família. Assim como eu, era tratada com um certo diferencial por eu ser o caçula e e ela a única mulher entre 4 irmãos. Irmãos briguentos entre os mais velhos e que as vias de fato eram constantes pela infância, adolescencia e fase adulta com inúmeras brigas e desavenças tendo a parte monetária como o foco principal.

Consumo de drogas em profusão sendo flagrados pelos pais inúmeras vezes e com ameaças dos mesmos pelo desligamento do lar se continuassem com aquela vidinha.

Os irmãos cresceram, se mudaram, se atolaram em dívidas pela vida independente mas nunca deixaram de ter contato com as drogas e comportamentos condenáveis pela família e até por amigos próximos. Pelo modo de vida, a chinelagem se aproximou da minha irmã sendo ela uma eterna bobinha e facilmente influenciável. Cultura nunca foi uma referencia nela e nem cursos em faculdades de primeira linha uma referencia de inteligencia e formadora de opinião.

Sua turma beirou sempre a bandidagem e a chinelagem do nosso sistema social mas a morte de meu pai deu uma reviravolta na sua vida.

Ainda beneficiária de uma lei que foi extinta, teve direito a 50% da pensão do meu pai para o resto de sua vida e mensalmente pingada na sua conta bancária. Ora, meu pai foi um exemplo de funcionário público e que ganhava muito bem. Ela, uma bêbada, drogada e que sempre levou para a sua cama a mais chinelagem masculina e feminina para usufruir a gorda pensão herdada e gasta da pior maneira possível.

Com o tempo, foi adquirindo patrimônio, viajando pelo mundo mas sempre esqueceu de se qualificar internamente. A parte bobinha de sua personalidade sempre esteve à frente de suas ações e que acabou se envolvendo em situações extremamente constrangedoras pelo usso excessivo de cocaína e bebidas numa fase negra de sua vida.

Mesmo assim, hoje insiste nas lições de moral como se fosse uma freira na família e que , no ápice da sua ignorância cultivada, começou a prejudicar os mais próximos, principalmente a mim numa ira inexplicável e com uma raiva passível de internação.

Hoje ela vive sob medicamentos e sessões de psiquiatria. Vive, ao que me parece, nos poucos meses que lhe restam pela estatística de seu passado e por expor toda essa ira e raiva contra os mais próximos sem que qualquer razão pudesse apresentar.


domingo, junho 05, 2016

Conversa entendível para maiores de 40 anos !

Esse fato ocorreu em Porto Alegre !

Dois amigos se encontram no Bar Alaska. Fazia tempos que os dois não se encontravam na boca maldita.
- E aí, magrão ! Quanto tempo, tchê !
- Pois é, andei meio sumido. Tô encostado. Tão achando que é um princípio de nó nas tripas !
- Tu vê, teu véio morreu assim ! Te cuida ! Tirou uma chapa já ?
- Vou tirar na segunda na beneficiência. Mas minha vó me mandou uma receita infalível: guaco, mel, cachaça, limão, gelo e um toco de vela.
- Isso tá me cheirando caipirinha. Mas pra que o toco de vela ?
- Caso não dê certo....
- Tchê, vou pegar uma sessão coruja no Bristol. Começa à meia-noite. Dança dos Vampiros, do Polanski. Baita filme.
- Magrão, combinei com uns caras ali no Lola mais tarde.
- E já comprou presente pra tua coroa ? Ela ta fazendo primaveras na segunda. Aproveita e passa na Sloper que tem uma liquidação.
- To sabendo mas vou lá na do "lápis vermelho". Também tá com boas ofertas.
- É isso aí ! Te cuida !
- Tu também e vai com calma nas aulas de filosofia na UFRGS que tem gente do DOPS infiltrado nas aulas.
- Falou !

Caminhos que se abrem !

Aos poucos vai se conhecendo o lugar. Pode demorar semanas, meses, semestres...O conhecimento chega, a ousadia aparece, o inusitado acontece...