sábado, novembro 15, 2008

1808


Essa semana foi muito boa para mim. Além de voltar ao trabalho, no antigo departamento que estava, pude conhecer pessoalmente uma pessoa especial, um jornalista de sucesso que só me comunicava com ele pela internet.


Trata-se de Laurentino Gomes. Logo que a revista Veja começou a sua interatividade com a seção Veja On-Line escrevi um comentário político que foi publicado na revista. Isso faz mais de 10 anos e, na época, o Laurentino era o responsável por esta parte da revista. Depois se tornou um dos diretores da Abril.


Desde lá temos mantido contato via e-mail e na quinta passada fui à 54 Feira do Livro de Porto Alegre para conhecê-lo e autografar o livro 1808 o qual ele fala da chegada da corte portuguesa ao Brasil de um modo bastante gostoso de se ler e sem aquelas chatices literárias do meio acadêmico que o pessoal tanto gosta de escrever e o povo odeia ler.


E aproveitei para participar de um debate com ele, mais o Antonio Holfeld e uma historiadora sobre a maneira com que as pessoas escrevem livros históricos e tem pouca atração do público em geral. Justamente por escreverem de forma rebuscada numa linguagem que só mesmo entre eles há atração.


E isso acontece em todas as áreas. Quem não gostaria de ler sobre astronomia, medicina, psicologia, estatística, etc....mas que fosse escrito de uma maneira mais descontraída não deixando de lado a credibilidade da informação ?


Pois recomendo o livro 1808 para quem quiser entender um pouco mais desse nosso Brasil e sua história.


Mais informações no site http://www.laurentinogomes.com.br/


Na foto, eu e o Laurentino trocando uma idéia na Feira do Livro.

Nenhum comentário:

Aplaudido e Vaiado !

Quem emite opiniões está sujeito a isso. Agrada um lado, desagrada outro. Eu não escrevo para agradar um grupo ou alguém. Eu escrevo por que...