domingo, outubro 26, 2008

Fórmula mais coerente para as eleições !

Mexer numa coisa dessas é a mesma coisa que colocar a mão num vespeiro. Os conchavos, os interesses pessoais e empresariais, entre outras coisas, é tão grande, envolve tanto dinheito mas já estava na hora de darmos uma modernizada no jeito que esses políticos são eleitos.

Abaixo vão algumas sugestões pessoais:

- é eleito o cara que tiver mais votos diretos. Não tem essa história de voto de partido, legenda, etc... ;

- se o cara quiser se candidatar, terá que abrir mão do seu cargo atual e não poderá voltar mais. Ou seja, quem é deputado, senador, vereador e quer ser prefeito, correrá o risco de perder a eleição para prefeito e não poderá ser mais o que era. Só na outra eleição e se for eleito novamente ;

- acaba esse negócio de suplente. Saiu para ser secretário, ministro, ou seja lá o que for, o cargo fica em aberto e vai dar explicação para quem te elegeu para ser seu representante ;

- vice só para presidente, governador e prefeito ;

- se estiver com algum problema na justiça, serasa, spc ou qualquer culpa no cartório ou condenação de qualquer natureza, não poderá assumir. Valem os mesmo critérios que os bancos usam para nos dar crédito ou conseguirmos um emprego na iniciativa privada.

Se o povo se unisse para pressionar os seus representantes a aprovar essas medidas simples a coisa iria melhorar bastante, no meu entender. Se tiveres mais sugestões, por favor, coloque-as também.

3 comentários:

Pablo Martins disse...

Também tem que acabar esse negócio de segundo turno. Isso sempre prejudica o candidato que tem mais votos "legítimos" pois todos os outros candidatos aliam-se contra ele e acabam derrotando-o.

Walter Lorenzo disse...

uma mudança interessante na politica seria a inclusão do tal do voto distrital, em vez dessa tal de representatividade.

e pra mim, parlamentar, vereador, prefeito o que for deveria ser a pessoa com a ficha mais idônea possível, sem riscos. Se não sabem nem administrar a própria vida, como farão com a cidade?

Em tempo, é um absurdo a declaração de bens que os candidatos fazem antes das eleições. Quem vê pensa que ninguém tem nada.

Otávio JC Duarte disse...

Me lembrei de outra: mandato tem que ser cumprudo até o final. Saiu antes ? Não pode mais se eleger para coisa alguma.

Falar de mim mesmo !

Tenho essa mania. Essa mania tem que ter limites. Falar de mim mesmo gera um monólogo consigo. Será isso mesmo ?