sábado, fevereiro 21, 2009

Os queridinhos da família

Os tempos passam e as famílias vão descobrindo as outras facetas dos queridinhos que tanto todos idolatravam.

Aquela criança ingênua, estudiosa, que passara no vestibular na federal de primeira, desaparecera da face da Terra. Deu lugar a algo quase inexplicável na teoria dos pais.

Virou bichogrilo, vegetariano, o verdadeiro "ripe" dos anos 2.000. Não sei se foi uma atitude proposital ou uma forma de dizer ao mundo que aqui estou e que Hugo Chavez nunca morrerá....sei lá !

Cada um tem uma forma de viver e eu continuo na minha. E a minha é a que eu acho melhor e a que eu me sinto bem. Espero que seja assim com todos desde que não se torture para chamar a atenção alheia.

2 comentários:

Maria Ines disse...

A criança ingênua nunca existiu. Existiu sim o garoto questionador, leitor voraz, constestador, idealista e sonhador. Este soltou as amarras e foi mundo afora conhecer o mundo dos livros, com pouco dinheiro no bolso e muita riqueza de idéias. Foi ver que a vida não é só casa, comida e roupa lavada é muito mais e muito menos. É cheia de aventuras que se vive quando se é jovem, depois vem a acomodação e a programação. O novo e o improviso ficam na saudade. "Viva o queridinho da família"

Otávio JC Duarte disse...

O "ueridinho da família"em questão, não é qualquer pessoa específica. Falei de uma maneira generalizada e que ocorre em muitas famílias brasileiras. Na Veja da semana passada estava um exemplo de um caso. Em momento algum entrei em tantos detalhes como no teu comentário pois não tinha em vista para exempleficar. Só o garoto citado na revista em questão.

Aplaudido e Vaiado !

Quem emite opiniões está sujeito a isso. Agrada um lado, desagrada outro. Eu não escrevo para agradar um grupo ou alguém. Eu escrevo por que...